Custos logísticos impactam o resultado das empresas brasileiras



A pesquisa Custos Logísticos no Brasil, da Fundação Dom Cabral (FDC), publicada na semana passada, destaca o impacto dos gastos logísticos nos resultados das empresas.

Nesta pesquisa, podemos verificar que, no ano de 2017, as empresas destinaram 12,37% do faturamento bruto para logística. Em 2015 este percentual era de 11,73%. Para termos uma comparação, a pesquisa destaca que, em média, as empresas na China destinam 10% de seu faturamento bruto para gastos com logística. Nos Estados Unidos este percentual é de 8,5%.


As atividades logísticas que compõe as maiores parcelas dos custos logístico no Brasil são:

  • Transporte de longa distância (40,1%)

  • Distribuição urbana (23,4%) e

  • Estocagem (17,7%)

Neste sentido, a pesquisa também apontou os principais motivadores do incremento dos custos logísticos , a saber:

  • Ausência de estrutura de apoio

  • Restrição de circulação de veículos de carga

  • Formação de mão de obra

  • Segurança

Para minimizar os impactos decorrentes do aumento de custos, as empresas estão buscando medidas como a terceirização de frota, negociar maiores prazos de entrega e transferir custos logísticos para os clientes. Entretanto, vale destacar que algumas destas medidas irão gerar impactos no nível de serviço prestado.


Outro dado importante apresentado na pesquisa, foi quanto a participação dos custos logísticos nos segmentos de negócios, e neste sentido, observamos que negócios com maior valor agregado, sofrem menos impactos em seu faturamento.


Vejamos os segmentos e o percentual dos gastos logísticos em relação ao faturamento do segmento:


Farmacêutico (4,7%) Construção (18,0%)

Bens Capital (5,0%) Agronegócio (20,7%)

Ind. Automobilística (5,1%) Papel e Celulose (21,7%)

Eletroeletônico (6,1%) Mineração (26,1%)



Este cenário, nos apresenta muitos desafios, mas também grandes oportunidades.

Por isso, é importante continuarmos firmes na busca por melhoria contínua, na otimização de processos, no uso intenso de tecnologia, na capacitação de pessoas, na racionalização de atividades que não agregam valor e, principalmente, buscando pensar "fora da caixa", isto é, vislumbrando e testando soluções criativas e inovadoras.


Então, mãos a obra !!!


Maiores informações sobre a pesquisa podem ser lidas na notícia publicada no portal do jornal valor econômico

Hélio Meirim é CEO da HRM Logística consultoria & treinamento, tendo atuado, por mais de 20 anos, no Brasil e no exterior, em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Operadores Logísticos, Transportadores, Varejo, E-Commerce, Indústria Farmacêutica, Alimentícia, Siderúrgica, Química e Agrobusiness. Mestre em Administrador é fundador do Clube da Supply Chain, Coordena a comissão de logística do Conselho Regional de Administração – RJ, é professor, escritor e palestrante.






Últimos posts

© 2018 by JS+