Logística será que é isso mesmo?

Nos últimos anos, tenho constatado que a palavra logística vem sendo utilizada com uma certa frequência, o que é um bom sinal. No entanto, percebo que, algumas vezes, ela é aplicada de forma inadequada, pois o seu conceito ainda não é totalmente entendido. Em minhas atividades profissionais, em aulas, palestras ou simples conversas sobre o assunto, sempre procuro me esforçar para tentar explicar, de forma simples, o que vem a ser logística. Visando conciliar o embasamento teórico com a vivência prática, reuni alguns livros de autores que considero importantes sobre o tema e procurei descrever os conceitos básicos sobre o assunto. O que é Logística? Resumidamente, pode-se dizer que a função primordial da logística é colocar o produto certo, no local correto, no momento adequado ao menor preço possível, desde as fontes de matéria prima até o consumidor final. De acordo com Ballou (1993), a logística empresarial estuda como a administração pode prover melhor nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e consumidores, através de planejamento, organização e controle efetivos para as atividades de movimentação e armazenagem, que visam facilitar o fluxo de produtos. Novaes (2004) descreve que a logística agrega valor de lugar, de tempo, de qualidade e de informação à cadeia produtiva, procurando ainda eliminar do processo tudo o que não tenha valor para o cliente. O CLM (Council of Logistics Management) define logística como o processo de planejar, implementar e controlar de maneira eficiente o fluxo e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associados, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor. Martins (2003) refere-se à logística como sendo a responsável pelo planejamento, operação e controle de todo o fluxo de mercadorias e informações desde a fonte fornecedora até o consumidor final. Quais são as atividades da Logística? Na análise de Ballou (1993), a logística pode ser entendida como a integração da administração de materiais com a distribuição física, sendo que as duas grandes etapas do processo logístico são o suprimento físico (administração de materiais) e a distribuição física, podendo essas etapas serem divididas nas atividades de transporte, manutenção de estoques, processamento de pedidos, obtenção, embalagem protetora, armazenagem, manuseio de materiais e manutenção de informações. Para Martins (2003) os processos logísticos começam na atividade de planejamento (oferta e demanda), passam pelas atividades de gerenciamento das fontes de suprimento (compras), de processamento (produção), de transporte até o cliente (distribuição) e do gerenciamento do relacionamento da empresa com o cliente (pós-venda). Viana (2002) considera que o processo logístico é composto pelas atividades de administração de compras, planejamento de estoques, movimentação e armazenagem de materiais e transportes. Pode-se então entender que os processos logísticos consideram as principais atividades relacionadas ao suprimento de materiais e informações necessárias ao atendimento das necessidades dos usuários finais.

Hélio Meirim – CEO da HRM Logística consultora & treinamento, tendo atuado, por mais de 20 anos, no Brasil e no exterior, em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Operadores Logísticos, Transportadores, Varejo, E-Commerce, Indústria Farmacêutica, Alimentícia, Siderúrgica, Química e Agrobusiness. Coordena a comissão de logística do Conselho Regional de Administração – RJ, é professor, escritor e palestrante. meirim@hrmlogistica.com.br

Últimos posts

© 2018 by JS+